Loading...
Loading...

segunda-feira, 22 de maio de 2017

Arqueologia



     Por enquanto fica a imagem. Depois a história completamente condizente com a época dos aquedutos romamos. Século I depois de Cristo.

domingo, 21 de maio de 2017

Agradável Surpresa / Crônica do Cotidiano


Agradável Surpresa / Crônica do Cotidiano

     Não que eu creia exageradamente, mas algo intervém e eu chamo essas intervenções inesperadas de Deus.
     Estávamos num grupo de pessoas e havia uma única pessoa que não falava português. Uma senhora de Mumbai, da Índia e ela só falava inglês.
     Comecei a conversar e tivemos uma boa conversa substituindo as palavras que não sabíamos exatamente o significado por similares que possibilitassem o diálogo.
     Conversa vai e conversa vem, ela me conta que é médica.
     Eu toco piano e cuido da casa, conforme não me canso de dizer e contei a ela, propiciando a ela até mesmo evitar de conversar comigo, mas não foi o que aconteceu.
     Ela continuou a conversar e eu perguntei a especialidade dela e ela é oncologista na Índia estando na cidade em turismo após participar de um simpósio - "simposium"para ela.
     Inteligente, perspicaz e observadora.
     Após horas de conversas até mesmo engraçadas porque eu estou resfriada e ela perguntou o que eu comprei na farmácia e eu mostrei a ela o pacote com o antigripal e ela me disse que o resfriado vai-se demorar porque o remédio não contém antialérgico, mas riu-se e disse que não estava aqui para trabalhar e sim para descansar.
     Por fim, ela me mostrou o telefone dela e pediu: Google it.
     É bom para quem lê, saber da possibilidade de uma conversa muito simpática entre médica e não paciente, mas conhecimentos de passeio.
     É o que eu faço agora, digo que tive uma conversa profícua com uma médica oncologista de Bombaim, da Índia.
     TAMBÉM CONVERSAMOS SOBRE JESUS, RÁ, SHIVA, MARIA E SOBRE A FÉ EM DEUS.
     O SER HUMANO, A FÉ, A MEDICINA, O PITORESCO E AS PAISAGENS QUE TIVEMOS.
     Um abraço a todos vocês.
     

sábado, 20 de maio de 2017

Varanda

Varanda

Preciso da varanda,
Nessa minha ciranda;
Deixar-me a bel prazer
Sem saber do sofrer.

Descobrir como se anda,
Fazer o que Deus manda;
Esperar  e viver
Conforme um não querer.

É boa toda quitanda
Onde tudo se arranja
Tendo ela a percorrer;
Ver a rua e me ler.


sexta-feira, 19 de maio de 2017

quinta-feira, 18 de maio de 2017

Conversa com o Espelho


Conversa com o Espelho

     São três espelhos ou quatro espelhos?
     Todos eles resolveram se tornar obras de arte e, as frases que eles me dizem são um absurdo.
     O primeiro deles disse que se eu era brasileira, o filho dela e ela eram de Tonga, numa referência ao atleta que fez sucesso nas Olimpíadas.
     Perto de um grupo de brasileiros o espelho começa a conversar em inglês e diz que eu estou acompanhando um amigo brasileiro para esse grupo de brasileiros?!
     Como assim dizer que os brasileiros não são polidos?
     Fui chamada de mentirosa por dizer que sou brasileira?! Eu que invente outra nacionalidade?!
     Outro espelho me diz que eu sou espiã porque falo em três línguas? Essa terceira eu arranho, mas sou bem compreendida, é o que importa. sem mau humor.
     Numa feira tecnológica tentam me vender um Porsche ou uma Ferrari, ou quem sabe um automóvel. Eu digo que sou brasileira e o vendedor pede desculpas, não teve a intenção de me ofender. Para quem não sabe, conto a novidade em primeira mão: em breve chegarão ao mercado automóveis movidos a três combustíveis: etanol (álcool, gasolina e energia elétrica). Isso mesmo, os novos postos de gasolina oferecerão energia elétrica para abastecer o tanque do carro, como incentivo para a transformação dos veículos em veículos movidos à eletricidade. O petróleo, enquanto combustível está com os dias contados. 
     Outro chega e pergunta se eu quero vender o ingresso e eu respondo na lata: "Compre o seu entrando na fila para comprar ingressos." Desde quando eu sou "Maria Gasolina?"
     Um terceiro espelho me surpreende: salada de lentilhas, pimentão, alface, azeitonas e atum de entrada, um filé de merluza acompanhado por legumes ralados e espinafre e, de quebra um profiterole mais os refrigerantes grátis por, pasmem: quarenta reais. Se eu quisesse vinho, o preço seria o mesmo, mas eu não bebo, gosto do meu estado de espírito com essa lucidez que perturba.
     Quando ouvi um casal que quer comprar um apartamento com duas "jacuzzi", fui ao supermercado. Jacuzzi é algo que só vendo para saber o que é. Este sim, o supermercado, é um espelho que se parece comigo.
     Um espelho endoideceu de vez e tentou conversar em alemão com o meu irmão. Três vezes. Ele disse que não fala alemão em alemão e começaram a rir dele.
     E ele a rir de mim, o meu amigo brasileiro.
     Ainda bem que existe supermercado para deixar a cabeça da gente em ordem. 
      
     

quarta-feira, 17 de maio de 2017

Mulher-Anjo

Mulher-Anjo

Essa especial entrada
Que não se pode entrar;
É a proteção velada
Pois há um anjo a cuidar,

Não pode ser falada,
Pode-se especular;
Verdade é segredada
Ninguém a vai negar;

Mas, se fica à essa entrada,
Que é perpendicular;
Toda mulher é alada,
Um anjo a se guardar.

Cova dos Leões


Cova dos Leões

Passeio por Roma antiga
Numa corrida com biga;
Numa cena imaginária
Nenhuma leoa é necessária.

Cavaleiro e sua amiga
Discordam sobre essa ambígua
Situação, César e vária,
Sobre a energia e a secundária;

O país é assunto de esquina,
Falam de Roma à barriga;
Não se responde sobre a ária
Nessa sua ópera diária.



segunda-feira, 15 de maio de 2017

domingo, 14 de maio de 2017

Significação


Significação

Essas palavras soltas,
Esparsas, desenvoltas,
Quando são proferidas
Envolvem acolhidas,

E são poucas, tão poucas
Que são luzes envoltas
Em pausas comovidas
Às emoções olvidas,

Mas preparam as solfas
E se parecem toutas
Precisas, definidas;
São as canções aludidas.

sábado, 13 de maio de 2017

Peixe em Cardume


Peixe em Cardume

Ando apressada,
Causa de nada,
Não, esse é o costume,
Meu vaga-lume.

Estou habituada
A ser ritmada
Por som e volume;
Esse é o meu lume.

Sou serenada,
Mas com passada
Que me presume;
Peixe em cardume.

sexta-feira, 12 de maio de 2017

Internet / Mesmo assunto


Internet / Mesmo assunto

     Muitos sites saíram do ar em consequência de um ataque de vírus. Alguns sites que tentei acessar estavam sem serviço até que fosse feita uma verificação de segurança.
     Seguro mesmo é se cuidar com a internet. Ontem fiz um download de aplicativo e até agora não consegui fazê-lo funcionar.
     Se tem esse lado ruim, tem o lado bom, que através de pesquisa de preços se consegue fazer boas compras, que são entregues em domicílio, que causam satisfação ao se verificar que são exatamente iguais ao especificado no site de vendas.
     Outro lado bom são os serviços oferecidos, os consertos em geral que uma casa precisa.
     A internet já propicia uma série de comodidades para se planejar o final de semana com cinema, cafés e sugestões diversas.
     No que tange às amizades virtuais, eu digo que conversar com os amigos pessoalmente é muito mais aprazível, mas também digo que quando se tem contato virtual e pessoal é melhor ainda, pois se pode entender uma ou outra postagem feita num dia mau para essa ou aquela pessoa.
     O mundo virtual não substitui o real de jeito nenhum, é ferramenta de apoio, mas a vida real depende da gente.
     Interessante como é que tem gente a fim de derrubar a internet com maus propósitos, tais como roubar senhas dos usuários.
     Aconteceu que o meu android apareceu com vários programas novos e ele mesmo disse se tratar de um tal de "joko" e pediu para desinstalar esses programas e eu desinstalei.
     Outro caso interessante é o do celular com anti-vírus que impede de fazer ligações telefônicas. Para fazer a ligação telefônica o usuário tem que desinstalar o anti-vírus, mas esse pedido pode vir de um vírus que era anterior à instalação do anti-vírus, algo que já aconteceu com o meu computador.
     Estou aproveitando para fazer as atualizações necessárias e às vezes acho que há excesso nessas atualizações, mas com esses ataques virtuais, é melhor que hajam atualizações.
     As conexões tem de ser reais, dizem os especialistas, mas poema é surreal.
     Hoje estou mais para o realismo de que para a subjetividade. A subjetividade nem sempre é propícia, pois a internet é paga e o consumidor não tem muita segurança e não sabe se o computador está protegido e essa é a melhor forma de se pensar no que tange ao computador e ao android, dizem os especialistas.
     Quanto a mim, acrescento que já obtive o que precisava sem saber que existia com tal qualidade para residências. Se eu continuo o assunto, eu começo a fazer propaganda e não é esse o meu objetivo.
     Com ataque cibernético ou sem ataque cibernético, cá estou eu na telinha aproveitando a sexta-feira e está valendo aqui estar, porque apesar de tudo, depende de mim que o lazer seja bom, o que é um sossego.
     

quinta-feira, 11 de maio de 2017

Espelhos

 Espelhos

     Um espelho novo, um espelho antigo. O espelho antigo adivinha-me e me prevê. Pego o espelho antigo e mostro a quem está em casa. Surpreendente espelho que aumenta a autoestima do outro que não sou eu.
     Alguém nesta casa casa recebeu uma declaração de amor através de espelho meu, mas a declaração de amor não me pertence, apenas a espelho através de um espelho inesperado.
     Outro espelho me diz da dor que não é minha, mas também não é de casa.
     Espelhos que não confundem, mas mostram o amor e o desamor.
     E eu me espelho na alegria do amor ao outro dedicado através das palavras do que somente a verdade é capaz de responder.
     E eu me espelho na dor que não é minha e que precisa não ser minha, espelho do qual eu posso prescindir. Mas a dor do outro é tanta que me rouba o espelho à contragosto, para seu desgosto e um certo bem estar de minha parte.
     O meu espelho, porém, está oculto em percepções musicais etéreas; não sei mais porque tanto gostar das melodias; essas sim me espelham em cada nota observada com atenção.
     Se, esses espelhos, perguntam muito, têm algo a dizer.
     O amor ao outro me faz sorrir, embora mais parecido comigo do que com o outro.
     A dor do outro me faz sorrir porque o espelho foi roubado por bom ladrão. Que se entenda bom ladrão no sentido bíblico, aquele que rouba a dor do coração e faz sentir compaixão.
     O meu espelho, no entanto, foi sincero e disse-me que não me perca da canção que me espelha.
     Quem é que tem em casa um espelho só, ainda mais sendo mulher que se olha e se observa em qualquer espelho que encontre. 
     Quem é que, ao sair, não arruma jeito se se ver em espelho para ver como está ajeitado no andar?
     Eu só acho que três espelhos num dia só foi algo que mexeu comigo, mexeu mesmo.
     Devo dizê-lo.  

quarta-feira, 10 de maio de 2017

Ampulheta


Ampulheta

Quando a rotina passeia,
O relógio é bem cotado,
Compensado em hora e meia.

Num escasso grão de areia
De ampulheta recordado,
Um luz surge e permeia

E diz ao dia que clareia,

Que a rotina vem ao lado.

terça-feira, 9 de maio de 2017

Na Quadra de Cima / Crônica do Cotidiano


Na Quadra de Cima / Crônica do Cotidiano

     Foi na quadra de cima de onde eu estava. Caminhava eu em direção à panificadora quando os gritos começaram.
     _Ladrão! Ladrão!
     Numa atitude completamente idiota parei na hora, no meio da quadra anterior, de onde eu não conseguia enxergar direito o que acontecia.
     Ouviu-se um tiro, mas ninguém na quadra de cima caiu no chão.
     _Um vagabundo desses merecia é um tiro certeiro, alguém gritou.
     Olhei em volta e mais alguns transeuntes estavam parados, aguardando os acontecimentos, mas ninguém correu para a quadra de baixo, a não ser os pedestres que estavam aguardando a vez de atravessar a rua. Esses pedestres correram para atravessar a rua.
     O alarme de um carro estacionado na quadra de cima disparou. Alguém entro e saiu do carro, mas não o levou.
     A sorte dos pedestres da quadra de baixo foi que o nominado ladrão resolveu fugir pela quadra de cima da quadra de cima.
     E, agora, pensando adequadamente, eu feito uma estátua olhando para a quadra de cima, e isso do meio da quadra de baixo e do meio da calçada. Acho que fiquei com falta de raciocínio.
     Parece que os funcionários dos estabelecimentos da quadra de cima saíram à rua porque eram umas dez pessoas gritando ladrão. Ninguém gritou "pega ladrão", mas simplesmente ladrão.
     Consegui sair da posição de estátua assim que os gritos pararam e ouvia-se apenas um rumor da quadra de cima.
     Fui até a panificadora e perguntei o que era aquela gritaria.
     A resposta foi coincidente com a minha perspectiva:
     _Ouvimos a gritaria, mas não saímos para ver, mas ficamos atentos ao movimento dos fregueses.
     Ainda bem que foi na quadra de cima, porque eu fiquei feito idiota na quadra de baixo, se bem que não houvesse nem um lugar para entrar, a menos que eu andasse na direção contrária, mas seria complicado e perigoso; tinha um ladrão na rua.
     Comprei os pães e voltei para casa. Perplexa.   

segunda-feira, 8 de maio de 2017

Valores Humanos na Tomada de Decisões / Crônica do Cotidiano


Valores Humanos na Tomada de Decisões / Crônica do Cotidiano

     Ainda me sento para escutar histórias, bons conselhos e fatores que podem influenciar o cotidiano.
     Hoje ouvi uma palestra sobre a boa convivência baseada em valores humanos.
     O dia começou cedo e com ele um ensinamento que, até agora, até por não ser da minha natureza humana, eu não tinha prestado atenção.
     "O ser humano é muito adaptável às circunstâncias que o cerca e se acostuma à estupidez sem perceber. Quando percebe é porque já se acostumou a ela e a propagou, criando para si e para outrem um ambiente de convivência estúpido."
     O dia seguiu dessa maneira, com ensinamentos sobre valores humanos, independente de qualquer filosofia e teologia.
     "Podemos e devemos conviver com aqueles cujos traços de caráter são coincidentes em alguns pontos. Não se trata de bom ou mal caratismo, mas de maneiras de pensar similares e aceitáveis sob um ponto de vista de caráter comum que facilitam as relações interpessoais. Não se trata de discriminar outros pontos de vista, porque não é disso que o assunto trata. São hábitos como sentar-se para ouvir e contar histórias, por exemplo; tem gente que não tem a menor paciência para essa atividade e tem gente que gosta. Esses pontos de vista comuns ajudam a se obter melhores resultados em projetos pessoais e a suportar as frustrações com apoio mútuo."
     Valores humanos importam para a tomada de decisões pessoais, mesmo lembrando que o respeito aos divergentes é fundamental e o respeito, quando não obrigatório, é um traço de caráter, com variações importantes nas questões subjetivas que levam a bons resultados à condição de desenvolvimento pessoal mútuo.
     Sabe, hoje foi um dia que valeu cada minuto.
     "As dificuldades provenientes de decisão pessoal devem ser enfrentadas com parcimônia por aqueles que estão de fora da questão. Quando se percebe dificuldades provenientes de decisões humanas e realizadas por escolhas que não interferem negativamente nem na vida daqueles que tomaram a decisão ou os seus partícipes nessa decisão, podemos deixar que os grupos de interesses se resolvam sem a interferência indevida de parte alheia à questão. Toda decisão humana é difícil, ou seja, têm os seus prós e os seus contras, são escolhas feitas por traços de caráter."
     Hoje eu fico até amanhã contando sobre essa palestra, mas é tarde e desejo aos leitores um bom descanso.
     
     
      

domingo, 7 de maio de 2017

Dos Céus

Dos Céus

O livro,
Ouvido
De Deus

É o trigo
Florido;
Liceus

Contíguos

Dos céus.

sábado, 6 de maio de 2017

Reflexão Poética


Reflexão Poética

Se há tanto por fazer,
Que impede a reflexão,
O tempo há de querer
Pensar-se, e com razão,

Pois passa sem se ater,
Numa contradição;
É automático o ser
Que despreza a ideação

Necessária ao viver,
Cuja própria intenção
É tentar se entender
Porquê alma e coração.

sexta-feira, 5 de maio de 2017

Cafezinho


Cafezinho

Garoa no olhar,
Felicidade
De caminhar
Pela cidade

E ao dia saudar
Numa vontade
De se alegrar
Pela bondade

Que é se encantar
À brevidade
De adjetivar
Um café à tarde.

quinta-feira, 4 de maio de 2017

Entre a Informática e a Internet ? Crônica do Cotidiano

Entre a Informática e a Internet ? Crônica do Cotidiano

     Este blog qualquer hora se atrasa em consequência da informática. São dez horas e quarenta e dois minutos. Ao invés de pensar poesia, estava tratando de upgrade de celular.
     Às vezes eu penso que não sou muito inteligente por fazer upgrade de plano de celular pelo telefone. A culpa não é dos atendentes, a culpa é da informática e o caminho obrigatório para as modificações necessárias de plano.
     Acredito que boa parte dos proprietários de celular não mais trocam de aparelhos anualmente, pelo menos é este o meu caso.
     Vocês sabiam que plano de telefone celular antigo é mais caro que o moderno? Mas é o que acontece.
     Bom mesmo é atualizar o plano anualmente, perguntar se o novo plano tem fidelização de doze meses ou o usuário pode trocar de aparelho e celular quando tiver vontade.
     Faz um tempo que eu passei em frente á operadora de telefonia móvel e percebi que estava pagando mais pelo mesmo número de minutos e internet.
     Em abril alterei o plano de telefonia móvel pelo telefone, mas eu tinha chips a mais, os quais eu não usei e precisam de desabilitação.
     Espero tê-los desabilitado.
     Outra informação que eu não sabia era que é praticamente impossível logar no portal da operadora móvel com o mesmo email para dois números diferentes.
     O problema é que eu tenho mais de um chip e liguei o computador às oito horas da noite e liguei para a operadora.
     Eles são eficientes, pois o plano original já veio modificado na fatura.
     Era tantas as dúvidas e soluções que eu e as atendentes da operadora ficamos um bom tempo até resolvermos todas as questões.
     São as questões dos planos atualizados, os aparelhos de telefonia ainda bons e muitas perguntas a serem feitas.
     Fiquei entre a informática e a internet e até mesmo a noite pareceu curta.
     Boa noite e, por favor, digam se ficaram satisfeitos com a crônica.
     Eles nem fizeram a pesquisa porque demorou muito o tempo do atendimento e, a culpa foi minha, mas eu não troco de celular todos os anos.
     Fica a dica: ou se atualiza o plano mesmo mantendo o aparelho tomando-se o cuidado de não postergar a fidelização por mais doze meses, ou paga-se muito mais pelo plano antigo.
     Feita a crônica. 

quarta-feira, 3 de maio de 2017

Poema Naturalista


Poema Naturalista

A idade vem,
Junto e também,
Novas vontades;

É que se tem,
Como porém,
Necessidades

Que sabe-as quem

Sente saudades.


terça-feira, 2 de maio de 2017

Intuição


Intuição


Falta de sintonia
São notas sem poesia,
Caderno a colorir


Desenhado em grafia.
Precisada, a alegria
Vem cantar, deixe-a fluir;


É que essa simpatia

São os tons que a alma está a intuir.

segunda-feira, 1 de maio de 2017

Palavra Candeeira



Palavra Candeeira

Se falei demais, perdoa,
Silenciada já gritava
Para ser pausada e boa.
A palavra não parava


De ser canção que se entoa
Em estúdio onde se grava
Por Deus, que vem e abençoa
O amor que se desentrava.


Todo o grão se aperfeiçoa,
Se recria em semente grada;
Não existe palavra à toa
Se Jesus dela se agrada.



sábado, 29 de abril de 2017

Boa Nova


Boa Nova

O cansaço recompensado
Da bondade feita e cumprida
Sem descuido, e o sono contado
Que a esse dia disse que o bendiga,

Cansa até pensar que é feriado,
O descanso a si se convida
A restar bem acomodado
E manter a fé bem movida.

Perceber que o que é bom, é aliado
Da ventura que é desmedida,
Que a leitura está perto e ao lado;
Experiência hoje é ler a Bíblia.



sexta-feira, 28 de abril de 2017

Acredite Se Quiser / Crônica do Cotidiano


Acredite Se Quiser / Crônica do Cotidiano

     Logo cedo saí para resolver compromissos diferenciados.
     Em meio aos meus compromissos diferenciados, acreditem se quiserem, encontrei uma senhora da Paraíba e o seu colega de trabalho, mexicano.
     Uma nova linha de panelas de aço chegou ao Brasil.
     A explicação sobre as panelas foi excelente:
     _Nós vendemos panelas de aço cirúrgico fabricado na Itália.
     Perguntei se a panela era italiana.
     _Não senhora, são jogos de panela fabricadas nos Estados Unidos e esse é o motivo do meu colega mexicano estar comigo.
     Eu disse que, no Brasil, nós temos ótimas panelas de aço e de marcas tradicionais.
     _Feitas com aço cirúrgico? Não temos. Respondeu a senhora da Paraíba.
     Resolvi usar de sinceridade:
     _Por que é que é necessário aço cirúrgico para cozinhar os alimentos?
     Por que foi que eu perguntei. Eu mereci a resposta:
     _Porque é mais saudável. Tudo que é cirúrgico é esterilizado e as panelas são esterilizadas.
     Depois dessa resposta, eu me calei.
     Ela se queixou do frio.
     Eu respondi que esse tempo de hoje não é frio e que o frio chega quando a temperatura que tivemos hoje pela manhã é a temperatura máxima do dia.
     _A senhora sabe como é que funcionam as nossas vendas?
     Eu disse que não.
     _Eu vou na casa das clientes e cozinho para elas. Como eu vendo panelas, eu tenho que cozinhar o almoço ou o jantar. Tudo o que a pessoa tem que fazer é comprar os ingredientes. Eu levo as panelas e faço a demonstração. Posso ir até a sua casa?
     Eu agradeci, mas disse que eu tenho boas panelas e que ela iria perder o tempo da demonstração das panelas na minha cozinha.
     Ela ficou aborrecida com a resposta.
     Parece que eles estão aqui em Curitiba para aumentarem a rede de vendedores de panelas de casa em casa.
     Eu perguntei a marca para pesquisar na internet e, as panelas existem e são mesmo fabricadas nos Estados Unidos. A propaganda garante que são feitas de aço cirúrgico italiano.
     Fiquei contente por ter tido que ir em outro bairro para resolver alguns compromissos.
     Alguma coisa no entanto, ficou no ar.
     De volta para casa, no Alto da Rua XV, perto de um Shopping Center, a senhora da Paraíba e o senhor mexicano atravessa a rua na frente do automóvel.
     Eles me viram, olharam e sorriram e, atravessaram a rua rapidamente.
     Contando que um compromisso diferenciado é oficina mecânica e que o orçamento do automóvel deles saiu enquanto eu recebia o meu, pergunto como foi que eles conseguiram me encontrar alguns quilômetros depois? E a pé?
     Fiquei em casa o resto do dia.

quinta-feira, 27 de abril de 2017

Por Favor


Por Favor

Um absurdo dito,
Se faz sentido,
Expressa a dor.

Mas comovido,
Vai ao infinito;
Diz por favor.

É um requisito

Confortador.

quarta-feira, 26 de abril de 2017

O Jogo do Copo / Conto de Horror

O Jogo do Copo

     Um grupo de senhoras idosas se reuniu e, como parte da tarde festiva, organizava-se brincadeiras diversas para que, além dos doces e salgados, as senhoras dessem boas risadas.
     Filomena, uma das senhoras, disse que ela gostaria de fazer a brincadeira do copo, aquela brincadeira em que todos os presentes seguram o copo para ver se acontece algo fantástico, ou seja, uma frase, alguém que receba espíritos e possa assustar os presentes. Filomena gostava de brincar de susto e naquela roda de amigas, gostava-se de um farto lanche, versos, canções e contar das suas próprias vidas.
     Dora, outra das senhoras presentes, disse que não gostava da brincadeira do copo, mas que as outras, se quisessem, que participassem do jogo.
     Filomena perguntou o que Dora iria fazer enquanto as outras jogassem e Dora disse que ficaria exatamente ali, ao lado de um prato de salgadinhos e doces, tomando conta deles para que não sumissem todos.
     Numa mesa redonda o copo foi colocado e todas as mulheres fecharam os olhos e seguraram o copo com as mãos sobrepostas.
     Filomena entrou em transe e as perguntas ao suposto espírito começaram.
     Filomena, em transe,com a voz afetada, disse:
     _Eu preciso que contem a minha história.
     As mulheres perguntaram qual era o nome pelo que o espírito se chamava quando estava vivo.
     _Elizabeth Junqueira.
     Dora, que observava do sofá, com um salgadinho nas mãos disse que aquele jogo era uma estupidez e sempre acabava mal.
     As senhoras olhavam assustadas umas às outras e concordavam com Dora.
     Dora continuou a reclamar:
     _Essa tarde que era para ser agradável, agora será para lembrarmos da moça que morreu aos vinte e dois anos, em um ano, com uma gripe que virou pneumonia.
     A partir do comentário as outras senhoras se manifestaram e começaram a dizer o que sabiam de Elizabeth Junqueira.
     _Jovem e séria, teve um único namorado e com ele se casou.
     A roda começou e vieram outros assuntos sobre a moça, com breves relatos sobre ela.
     _As moças do colégio onde ela estudou, sabendo que ela não gostava de visitas, mandaram uma pessoa na casa dela para visitá-la com as perguntas encomendadas no colégio e esquadrinharam a residência e souberam que ela estava feliz.
     _Por isso mesmo esperavam os dias de cansaço e a apanhavam de surpresa. Eram moças que levavam convites de aniversário e tinham muita pressa e a visitavam fora do horário de visitas.
     _Parece que as moças viram a cama por fazer e a louça do jantar ainda na pia.
     _A cidade inteira começou a chamar a Elizabeth de "porca".
     _Ela não está sendo mal educada. A grosseria contra a moça corria na cidade inteira. A Amelinha, na escola, ouviu um grupo de pessoas dizendo que ela era relaxada. Foi perguntada se a conhecia e ela disse que sim, mas que era moça mais velha e que não era amiga de visitar.
     _Dizem que ela ficou anoréxica. Parece que o marido gostava de sentir os ossos do ilíaco quando a abraçava, e para satisfazer o marido, ela ficou sem barriga.
     _Era professora, mas com esses comentários nenhuma escola a queria.
     _Eu bem que quis visitá-la quando ela ficou doente, mas disseram que tudo que eu iria presenciar era vômito. No mais disseram que ela estava pálida e cansada. Obedeci porque não quis incomodar a moça.
     _Essa história é esquisita porque ela não contrariava os interesses de ninguém, nem a favor nem contra.
     _Ela não era o que chamam de pessoa articulada, politizada ou engajada. Ela era uma moça comum, bem criada e educada.
     _O que terá sido aquilo de toda a cidade falar mal da moça?
     _Um dia eu fiquei zangada com o falatório e mandei que cada um tomasse conta da própria vida. Não adiantou nada, mas que eu falei, falei.
     _Será que ela soube o que diziam dela?
     _Isso é coisa que não se sabe.
     _Barbaridade: porca, relaxada e preguiçosa com apenas vinte e dois anos de idade.
     _Quase ninguém foi ao enterro dela, eu também não fui avisada.
     _Disseram que era morte esperada e que, embora triste, ninguém ficou surpreso.
     _Vinte e dois anos de idade e a cidade dava como certo o fim dela, mas com pneumonia?
     Dora concluiu:
     _Acho que foi disso que ela morreu.
     Filomena sentiu-se aborrecida por ter estragado a tarde com as amigas e disse:
     _Eu também acho que foi disso que a Elizabeth morreu.
     Dora olhou para a Filomena e pediu que entrassem em orações e pedissem desculpas pelo jogo do copo.
     Todas as senhoras começaram a orar.
      

terça-feira, 25 de abril de 2017

Que Deus Cuida de Nós


Que Deus Cuida de Nós

Minh'alma está antiga,
Com muita paciência,
Sem reserva e anuência
Musicada e amiga

Da velha cantiga,
Uma preferência
Vinda da inferência
Sabida, a que obriga

O saber da liga
Em tom de obediência
A alguma experiência;
Que Deus me bendiga.

segunda-feira, 24 de abril de 2017

Abstração


Abstração

Poema é qualquer cousa
Que se mexe no ar,
Faz vibrar a lousa
Numa ideia a vagar

No instante em que pousa
Com alma e lugar,
Abstraindo a quem se ousa
Nele caminhar.

domingo, 23 de abril de 2017

Organograma


Deus

                                                                              Você

                                                                         Casa   Igreja
                       
                                                            Princípios            Fé

                                  Convivência em Sociedade e Organização Social

     Pergunta-se: de que adianta um organograma se, encontra-se em meio à humanidade meia dúzia de, perdoem-me a palavra "psicopatas"  que pensam serem os donos do mundo.
     Sim, porque a humanidade encontra-se estarrecida com o que está acontecendo e, o problema, é que esses "donos do mundo" somente aceitam seguidores e bajuladores.
     Os demais calam a boca; é uma questão de prudência.
     Assiste-se ao seguinte cardápio, bem bolado por sinal, como se fosse um organograma:

       a)ARROZ     FEIJOADA     LASANHA     COUVE COM TOUCINHO
     
       b)ARROZ     FEIJÃO     RISOTO DE BRÓCOLIS     BATATA ASSADA COM QUEIJO

     Os donos do mundo e os seus seguidores e bajuladores estão comendo o cardápio da opção "a".

     Os normais e demais estão comendo o cardápio da opção "b".

     Se é uma opção, é uma escolha.
     
     É preciso dizer que não tarda e a humanidade se verá em apuros?

     Enquanto passamos bem com o risoto de brócolis e as batatas assadas com queijo, ou, de outra maneira, arros, feijão e batatas com queijo, há quem garanta que o feijão não é bom sem a carne de porco e a couve não se engole sem o toucinho. Por outro lado, dizem que a lasanha exige um presunto e o arroz com cheiro verde elimina todos os males da alimentação.
     Diga-se que o organograma do cardápio alimentar é melhor aceito do que o organograma conservador, que está no início da postagem.
     A inteligência, por sua vez, serve as duas opções, pendendo para o lado dela mesma. Nenhuma inteligência se arrisca a ser emotiva. Mas respeita as escolhas de cada um, e, ao respeitar as escolhas de cada um não admite imposições de parte a parte.
     Observando esse quadro, percebe-se que as negociações serão necessárias.
     O texto é simbólico e sem conotações físicas, atentem para esta frase que acompanha a postagem. 
         

        

sábado, 22 de abril de 2017

Devaneio


Devaneio


Um brilho perolado
Surge nesse lugar
Sentimentalizado
De suave bem-estar.

Esse dia a dia agitado,
Que não para a pensar
Sobre o supracitado
Que a vida está a observar.

Nesse tom recém-criado
Constante a iluminar,
A esperança está ao lado,
Mas está a devanear.

sexta-feira, 21 de abril de 2017

Foco

Foco


Entre um foco e uma ideia fixa,
Esmalte de unhas e lixa,
Estão o objetivo e a vaidade
E muita sinceridade.


Enquanto a ideia se subfixa,
O foco é a pauta e capricha
À próxima agilidade,
Consubstancial qualidade


Não se consiste prolixa
Nem quando ao ciniismo picha,
Mas pretende a novidade
  Com originalidade.

quinta-feira, 20 de abril de 2017

Viandante


Viandante

Sempre em frente,
Segue contente
O caminhante,

Que, estranhamente,
Gosta de gente
E pensa adiante.

Eventualmente

Contrastante.

quarta-feira, 19 de abril de 2017

Nova Interação Midiática


Nova Interação Midiática

     Anos a fio acessei o Twitter para saber resumidamente das notícias, mas hoje o Twitter foi embora.
     Numa atualização do sistema android, o aplicativo originário de fábrica foi retirado, sem mais e porque.
     O fato é que a mídia está mudando e, as atualizações valem para todos.
     Uma moça do jornal local havia ligado para explicar sobre o produto no qual ela se ambienta e vender o seu produto denominado "jornal".
     Penso que não é difícil de compartilhar com vocês, porque algumas das reformulações são comuns a todos os jornais.
     Os jornais publicam as matérias que vendem e/ou chamam a atenção do leitor e, para saber quais são as matérias que o leitor gosta de ler, usa filtros que mostram a localização do leitor e a matéria mais acessada.
     Não leiam o que vocês não gostam de ler.
     Os jornais, em sua maioria, oferecem algumas matérias gratuitas e outras matérias, a partir do momento em que o leitor se torne um assinante do referido jornal.
     Ficarei sem o Twitter, por opção própria, pois ele pode ser baixado pela loja do Google. Enfim, se o Twitter foi retirado do sistema é porque o sistema android encontrou dificuldades operacionais no aplicativo.
     É possível acessar a página inicial dos principais jornais do país e, se algo interessar, pode-se ler o jornal durante o mês acessando os conteúdos interessantes, sem perder de vista o número de matérias livres para acesso.
     Se a mídia está se transformando, esse é o momento ideal para que o leitor se adapte a essas mudanças.
     

terça-feira, 18 de abril de 2017

Goiaba


Goiaba


Pensamento disperso,
Faz do dia que se acaba,
Alguma prosa em verso,


Pois o poema é universo
Que para e não desaba
E faz caminho inverso


Num singelo reverso


Muito simples; é goiaba.

segunda-feira, 17 de abril de 2017

Sextavado


Sextavado

No meu quadrado,
Onde eu me enquadro,
Sei do que sei,
Mais que pensei.

O complicado
É fora ao esquadro,
Porque não sei;
Justaporei.

Arredondado
É o mundo dado,
Mas não cotei
Onde estarei.

domingo, 16 de abril de 2017

Poema Construtivo

Poema Construtivo


O lugar ideal,
Cidade perfeita,
De grão-de-areia é feita,

E flor e quintal
Que até a chuva enfeita,
Pois a água se ajeita

Ao cair no beiral

Onde o passeio estreita.

sábado, 15 de abril de 2017

Páscoa


Páscoa

Ele mudou a terra
Sem fazer a guerra
E amou a humanidade.

Morto, não se encerra,
Mas se desenterra
Com graciosidade

E a luz se descerra;

Bendita é a trindade.

sexta-feira, 14 de abril de 2017

Aleluia


Aleluia

Um coração de criança,
Gosto de chocolate,
E salva é essa esperança,

Do Espírito em bonança
Enviado por bondade
À sua semelhança.

A bem-aventurança

Em Jesus: realidade.

quinta-feira, 13 de abril de 2017

A Cruz


A Cruz

Verbalizada,
É nessa cruz,
Que a eterna luz,

Também vos fala
E vos é luz;
P'ra sempre a cruz

Que é libertada

Ao ter Jesus.


quarta-feira, 12 de abril de 2017

Acabaram-se as perguntas?

Acabaram-se as perguntas?

     A conversa que me deu oportunidade para dizer de mim mesma, se, por um lado, é pesada, por outro lado é útil.
     É difícil lidar com tanto desconhecimento, mas eu fico muito tempo ocupada em livros e música e não converso.
     Eu resmungo comigo mesmo sobre como é que não percebem um pouco de mim.
     O que eu gostaria de perguntar é quem é que faz esse perfil de mim mesma que não sou eu. Ah, me desculpem, mas tem quem faça. Isso é o que nós, cristãos, chamamos de "o inimigo", ou seja, quem gosta de fazer confusão é o demõnio.
     Um mínimo de esclarecimento esse povo merece, porque eu não desmereço nenhum tipo de música, porque há gostos e ouvidos para todas as músicas, mas eu prefiro as clássicas. Onde foi que concluíram o tipo de música popular da qual eu gosto? Não sei, depende do dia, eu tenho cds e Youtube e, ainda ontem ouvia Michael Bublê pela internet. Ontem o meu espírito estava para Michael Bublê.
     Vocês querem saber como é que "o inimigo" faz, vamos à pergunta exemplar:
     _O Michael Bublê faz com que você se lembre de algo especial? Hã, hã, hã?!
     Por enquanto não, mas a esperança é a última que morre. Essa seria a resposta adequada, mas eu sou polida e sei que a gente deve ficar longe das más respostas e fico somente no:não.
     Outro exemplo do "inimigo:
     Cento e cinquenta pessoas vem contar de máfia.
     Como é que alguém que fica entre livros e discos e partituras, supermercado e, de vez em quando, na cozinha, pode dizer alguma coisa.
     Se nós pensarmos em acordo com "o inimigo", vamos julgar essas cento e cinquenta pessoas e dizer que elas são a máfia, pois são elas que vêm atrapalhar a leitura e o estudo.
     Outro artifício do inimigo é garantir que você é o que você não é: analfabeta.  Como é que se tem um blog sem que haja alguma leitura? Faltaria assunto.
     Agora, sim, a resposta, com o melhor controle emocional possível:
     _Eu leio pra me defender das patadas. A gente leva cada patada que é preciso saber se escorar.
     Desse jeito não hão de me conhecer porque não querem me conhecer.
     E eu sinto muito não os agradar por não ser analfabeta, não ser discricionária em termos musicais (música é experiência, sentido e percepção sob o meu ponto de vista).
     Ninguém tem que agradar "o inimigo", pois a inverdade é própria do inimigo, pois se eu tivesse esse perfil, por certo eu o diria, mas, infelizmente, a resposta que tenho é que essa não sou eu.
     Que sejam felizes e que procurem as pessoas que querem encontrar, mas não me saberão.
     E isso não é bom e eu preciso estar em oração.  

terça-feira, 11 de abril de 2017

RESPONSABILIDADE SOCIAL / UTILIDADE PÚBLICA

RESPONSABILIDADE SOCIAL



     O Asilo de Idosos Boa Esperança, diz que tem boa alimentação e hospedagem, mas pedem para que grupos de senhoras os visitem, pois a solidão de quem vive sem família é imensa.
     Um dos moradores do asilo passou nas lojas vendendo pássaros artesanais feitos em madeira. Comprei um passarinho e me senti na obrigação de pedir aos grupos de caridade que os visitem e façam alguns dos seus dias mais agradáveis.
     O Asilo fica em frente ao quartel da Polícia Militar, à avenida Pres. Getúlio Vargas, em Curitiba.
     O senhor idoso pede para que quem queira visitá-los, que entre em contato com a assistente social responsável pelas visitas e solicitem a permissão.
     A postagem de hoje é este apelo aos grupos de caridade.
     Responsabilidade Social é ser humana. 

segunda-feira, 10 de abril de 2017

Senha


Senha

Existia a palavra
E eu a desconhecia;
Tão simples lavrava
E não a descobria.

A palavra encrava
Feito uma magia
E se torna trava;
Pavlov a diria.

O tempo não a agrava
Repetida ao dia,
Congestiona a via
Com psicologia.


domingo, 9 de abril de 2017

Para Ser Feliz

Para Ser Feliz / Reflexão

     Para ser feliz é preciso que você ria imitando os personagens de Vila Sésamo junto aos seus familiares.
     Para ser feliz é olhar alguns defeitos do próximo como suas especiais particularidades e saber que são os defeitos, as manias, as frases feitas que fazem de cada qual um ser especial.
     Para ser feliz é preciso agradecer o que tiver no prato para comer e rir do molho de pimenta acompanhado por uma limonada adoçada artificialmente.
     Para ser feliz é preciso não interferir nos erros das pessoas, mas sim, impedir e combater o crime, que é um fator que impede a liberdade do cidadão.
     Para ser feliz é preciso pensar que é possível e que você vai conseguir superar as suas dificuldades.
     Para ser feliz é preciso ir ao supermercado e estar no meio de muita gente e não ser ninguém, apenas mais um consumidor.
     Para ser feliz é necessário não sentir vergonha de auxiliar o próximo, é incrível como existem inibições para realizar o bem.
     Para ser feliz é preciso dar asas à imaginação e planejar coisas lindas e idealizá-las como se fossem possíveis, porque, na realidade, são.
     Para ser feliz é acreditar que ninguém nasceu para ser triste, nem mesmo você.
     Para ser feliz é preciso acreditar num Deus bom e misericordioso, pois ele pode, se você aceitar, fazer com que você acredite em tudo o que está escrito  nesse post.
     Um domingo abençoado para todos vocês!

sábado, 8 de abril de 2017

Estudo

Estudo

O estudo
Diz tudo,
Paciência.

É mudo,
Contudo;
Consciência

Que iludo:
Cadência.




sexta-feira, 7 de abril de 2017

Poema Triste


Poema Triste

O que as pessoas querem,
Ou, aonde chegarão,
Sem que nada esperem,
Feito um turbilhão

De ideias; e prosseguem
Sem alegria e vão,
Sem que se moderem,
Até à compaixão.

É triste que enverguem
Ao destino "cão"
E, que assim, não enxerguem
Um café com pão.

quinta-feira, 6 de abril de 2017

Motivos


Motivos

Dias cansativos
São crescimento,
Novos vestidos,

Decorativos
À chuva e ao vento,
E, ainda, incentivos.

São esses motivos,
Conhecimento.


quarta-feira, 5 de abril de 2017

Linha de Caderno


Linha de Caderno

Caderno é papel
Com tinta e pincel
E história não lida;
Página vivida.

Não conta do céu,
Linha e carretel
Em caligrafia
De ideia acontecida,

Mas poema é escarcéu
Que diz carrossel
Com ponto e partida
Na letra que avia.


terça-feira, 4 de abril de 2017

Bendição


Bendição

Meio feliz,
Aprendiz
De humildade,

Não desdiz
Da saudade
Que se quis,

Mas bendiz,

E se evade.

segunda-feira, 3 de abril de 2017

Letra de Fado


Letra de Fado

A palavra tem rosto,
Mas, e quem quer calar,
Da feição, algum desgosto,
Precisa comentar?

O argumento entreposto
É belo, se cantar,
Um fado, um tango, um gosto;
Nada mais a acrescentar.

Não é triste o que é suposto
E há tudo a sublimar.
O pronome, se aposto,
Faz o céu se anunciar.

domingo, 2 de abril de 2017

Seguiu por ali, Volta para aqui


Seguiu por ali, Volta para aqui

     
     Fiz caminho novo
     Sem que fosse novo;
     Eu desconhecia

     Imprevisto bolo
     Que não leva um ovo,
     Eu transitaria.

     E me locomovo,

     Com ou sem poesia. 

sábado, 1 de abril de 2017

Louvação


Louvação

Louvação é a atitude,
Sonora é a canção
D'alma em quietude.

A essa plenitude
Que leva à oração,
O espírito alude

O que é a redenção
Sem ser amiúde.

sexta-feira, 31 de março de 2017

Espairecer


Espairecer


Da semana espaireço
Em meio ao passeio a calçar;
De um cansaço arrefeço
Sem nenhum questionar,

Porque a chuva é começo
E logo vem a esfriar.
Vejo vitrine e preço
E fico a imaginar

O adequado adereço,
Peça de combinar.
Penso n’algum contexto
E volto a caminhar.

quinta-feira, 30 de março de 2017

Não Exatamente / Crônica do Cotidiano


Não Exatamente / Crônica do Cotidiano

     Pela manhã, pensava eu no escritor Orwell e no filme Matrix, como mais uma daquelas Teorias da Conspiração.
     Com escritor e filme, imaginei um mundo de sistemas onde todos estariam inseridos enquanto pessoas em números. As vidas seriam programadas para que dela se fizesse o que a inteligência e a robótica determinassem.
     Com senha para a entrada, a vida normal e cotidiana ficaria à mercê dessa inteligência que, em resumo, determinaria a hora em que cada pessoa acordaria e sairia de casa para evitar o congestionamento.
     Continuando a imaginação: os ônibus e metrôs não mais venderiam cartões, mas senhas pessoais para que cada pessoa tomasse a sua condução no horário determinado pelo sistema. Não haveria mais compras em supermercados, pois o sistema determinaria a alimentação ideal para cada um em relação ao seu biotipo e, a quantidade necessária e saudável para a alimentação seria entregue regularmente na porta de casa. Nunca mais comeríamos as pizzas à quatro queijos enquanto assistíssemos um jogo da seleção brasileira.
     Pensei numa realidade onde a humanidade se transformaria em andróides ambulantes, não sem consciência de ter se transformado em andróide, onde a necessidade de estar apto para o sistema adaptaria o pensamento a querer ser sistema, quem sabe até organizar o sistema.
     Mas se quisesse organizar o sistema, seria substituído pela robótica. Os sistemas teriam donos, assim como os têm os nossos queridos sistemas de lazer na internet.
     Os automóveis que não precisariam mais de motoristas levariam as pessoas para os lugares determinados pelo sistema até mesmo para o lazer e por ruas pouco movimentadas.
     Os donos dos sistemas não seriam visíveis à ninguém, a não ser para eles mesmos. No entanto colocariam pessoas para aparecerem como sendo os donos desses sistemas. Todas essas pessoas de dentro da organização dos sistemas.
     As pessoas normais seguiriam os sistemas e teriam a vida regulada pelo sistema. O planeta inteiro teria entre três a cinco sistemas centrais com sistemas comunicantes entre si.
     Pensei na globalização extremada dos povos.
     Pensei em escrever uma história com essas ideias.
     Mas daí, olhei o twitter e vi que não pagaram a conta de luz do Teatro Municipal do Rio de Janeiro.
     Sem luz, não tem sistema que funcione.
     Senti um alívio enorme. Basta apagar a luz para não haver plano nenhum de sistematização mundial.
     E não fiz história nenhuma.
     Vou lanchar contente agora à noite, pois a humanidade está salva.