Loading...
Loading...

sexta-feira, 30 de junho de 2017

Abstração


Abstração


Distrair o vento,
Brisa amornada
De um passatempo

Que é lenimento
A essa jornada,
Mas é um momento.

Ao pensamento,

Uma pousada.

quinta-feira, 29 de junho de 2017

Um Momento


Um Momento

Escrever é um cansaço
Que se quer meditar,
Levitar num abraço

Que na alma é um só pedaço,
Momento a descansar
Da prática, do passo,

Nesse tempo que é escasso,

Mas exato a passar.


quarta-feira, 28 de junho de 2017

Linhas Retas


Linhas Retas

Esse gosto por linhas retas,
De onde veio ou fascina, eu não sei;
Propaganda em tabuletas
E painéis tecidos que amei.

Enfeitadas são as cadernetas
Que desenham o que gostei,
Mas com estilo de saletas;
Lugares aos quais ainda irei

Assistir belas operetas.
Sigo as linhas, as quais pensei;
Partituras são linhas retas,
Entrelinhas que me deixei.

terça-feira, 27 de junho de 2017

Coerência


Coerência

Experiência
É a paciência
Trabalhada

À vivência
Da consciência
Meditada;

É a coerência

Bem calçada.

segunda-feira, 26 de junho de 2017

Alternativa


Alternativa

Tragicomédia
É a enciclopédia
De anima viva,

É uma colmeia
Com uma ideia
Alternativa,

Vontade média

Pra toda a vida.





domingo, 25 de junho de 2017

Conversa de Mãe


Conversa de Mãe

     Luas, histórias e canções,
Faz-de-conta de não contar;
Ela vem com as percepções
E logo se põe a dialogar,

Conversa por entre orações,
Que ela virá a te adivinhar,
E dizer entre explicações
Qual é o caminho a se trilhar.

É o instinto calmo das nações
Do Imenso universo a afagar
Sem medidas ou pretensões;
Maria chama Jesus ao lar.



sábado, 24 de junho de 2017

Desassombrar


Desassombrar

A conotação musical
Acontece sem esperar
E cria a sensação de espiral
Que contagia a alma a se agitar.

Com intensidade formal,
Obriga-nos a sussurrar
De encontro ao ar, numa angelical
Alegria, uma emoção a passear

Numa poesia que é universal,
Desdobrando-se a  se afinar
À emoção desproporcional,
Que, na alma, vem a se encontrar.

Nesse momento, o trivial,
Desce ao tempo a se transformar
Numa questão fundamental,
E chega para desassombrar.

É o enlevo ao supernatural
Quem cochicha a se aproximar
Numa abstração ao convencional;
E canta a alma a se iluminar. 

sexta-feira, 23 de junho de 2017

Enfeite


Enfeite

A bondade do ser
É possibilidade
Que permite crescer
E enfeitar realidade.

Esse chão a percorrer
Necessita a vontade,
E se faz florescer
Com espontaneidade.

É se desenvolver.
Com beleza e humildade
Ao que se há de fazer
Co'a sensibilidade.

quinta-feira, 22 de junho de 2017

Esplendor


Esplendor

Penso calor
E me enterneço
Por predispor

A alma em multicor
E me mereço.
Bordado avesso

De um esplendor;

É um recomeço. 

quarta-feira, 21 de junho de 2017

Edificador


Edificador

Edifique o dia,
Seja como for,
Ou com alegria,
Ou com por favor

E siga essa via
Com frio, ou, com calor.
O amanhã se avia
Com gestos de amor

E benfeitoria,
Sendo um construtor;
Seja o que seria
Num dia de louvor. 

terça-feira, 20 de junho de 2017

Céus de Cetim


Céu de Cetim

Os dias assim,
Bons e esforçados,
Feitos assim,
Tão delicados,

São, num jardim,
Iluminados,
Sem que haja fim.
São rebuscados

Tons de alecrim
À água dourados;
Céus de cetim,
Cantarolados.

segunda-feira, 19 de junho de 2017

Pesquisa de Satisfação / Comentário


Pesquisa de Satisfação / Comentário

     Recebo pesquisas de satisfação do consumidor com relação a esse ou aquele produto.
     Eu, sinceramente, gostaria que existisse um cronograma para essa pesquisa, primeiro a entrega do produto e depois a pesquisa. O site é confiável e a loja é correta, mas primeiro o recebimento do produto anotado pela empresa e depois o envio da pesquisa eletrônica  sobre a satisfação do cliente com o produto.
     Recebo outra pesquisa sobre a minha satisfação com o telefone fixo e, de repente eles perguntam se a minha televisão é de plasma, lcd, hdmi ou com tubo de imagem? A minha televisão com tubo de imagem já se foi e faz bastante tempo e eu não tenho cinema em casa, mas ir até a televisão para saber das suas qualidades para responder uma pesquisa de telefonia? É demais.
     Outra pergunta que é cansativa é saber quantos rádios você têm e inclua-se na pergunta todos os rádios de todas as idades, até mesmo aqueles que você deixou de lado por estarem obsoletos, Se perguntassem o que é que eu acho dos MP3 portáteis que têm que se carregados na tomada, eu responderia que os preferia à pilha e que senti muito quando o meu MP3 à pilha deixou de funcionar definitivamente após dez anos de uso.
     Enfim, deixei essa pesquisa pela metade e a outra perguntando sobre o produto, sem fazer.
     A pesquisa para o consumidor, é boa vontade, mas para o proprietário da loja, é muito importante. As pesquisas visam a um melhor atendimento por parte da empresa ao consumidor, não é para ser levada na brincadeira.
     Depois que a gente responde, eles podem mudar as estratégias de vendas, as propagandas, investir recursos em melhorias eventuais.
     Detecto, no entanto, um problema com o setor responsável pelas pesquisas de satisfação. Acompanham o pedido pela internet a empresa e o consumidor. Se a pesquisa é automática, o que custa esperar o site informar que o produto está entregue ao setor de pesquisa. Para que tantas perguntas alheias ao serviço prestado ao consumidor.
     No caso, eu não comprei rádio e nem televisão e, em resumo, eu não tenho que responder a essas perguntas para atender uma chamada telefônica ou realizar uma chamada telefônica. A pesquisa estava interessante, comparativa e competitiva, mas eles estragaram com a vontade de responder. Não tenho motivo para ir até à televisão, virá-la e olhar o modelo e a tecnologia para responder uma pesquisa direcionada ao telefone. A compra da televisão não foi um momento marcante na minha vida, foi uma despesa porque a outra televisão antiga pifou e o conserto era mais caro que a compra de uma nova.
     MP3, desses populares, eu fui comprando e me arrependendo porque a bateria dura quatro horas e eu quero um MP3 que resista à minha vontade de ouvir música continuamente. Eu não gosto de ouvir música ao celular, a não ser que fique muito gritante portar um celular e um MP3 e existem locais onde essa situação  parece mania.
     As empresas de pesquisa precisam ouvir o consumidor também em relação a elas mesmas e o quanto podem melhorar para realizarem uma pesquisa rápida e eficiente.
     Uma das pesquisas responderei mais tarde. A outra, simplesmente desisti e o motivo é a sua complexidade desnecessária.
     Um texto para hoje. 

domingo, 18 de junho de 2017

Bilheteria


Bilheteria

O ser e o porquê,
A filosofia
E por que se crê
Sem idolatria;

O que se ouve e vê
E a caligrafia
Que fica à mercê
Da historiografia,

Perfeito clichê
Que diferencia
Filme e matinê
Da bilheteria.

sábado, 17 de junho de 2017

Casual


Casual

O cansaço,
Num feriado,
É normal.

Conversado,
Apressado,
Desigual.

Cada passo

É casual

sexta-feira, 16 de junho de 2017

O Que Eu não Digo

O Que Eu não Digo

Eu não te obrigo a orar
Porque isso é um contra senso;
Bom é ao próximo amar
Sem nada esperar, penso.


Para que concordar,
Se começa um dissenso,
O fazer a agradar
Sem estar-se propenso.


Cada um tem o acordar
Que o faz sentir intenso,
Mas tenho a discordar
Que obriguem a outro censo.

quinta-feira, 15 de junho de 2017

Parar, Pensar, Relaxar


Parar, Pensar, Relaxar

Junte preguiça e feriado,
Trânsito congestionado,
Parar, pensar, relaxar
Saber ser, deixar estar;

Sentir-se desapressado
Com gente por todo lado,
Para cansar de vagar.
E sem sair desse lugar

Num dia para estar folgado,
À vontade começado.
Fomos todos descansar
Na mesma rua e lugar.



quarta-feira, 14 de junho de 2017

Palimpsesto


Palimpsesto

Grifo ao texto
E um contexto
Se enaltece,
E parece

Que é digesto;
Esse gesto
É o que aquece
Toda prece

Sem pretexto.
Palimpsesto
Que emudece
E agradece.

terça-feira, 13 de junho de 2017

A Prática e o Estado de Espírito

A Prática e o Estado de Espírito

     Foi uma conversa simples e rápida onde se ouviu:
     _Isso não muda nada.
     A essa resposta, permita-me responder com vagar. Existem acontecimentos espirituais, lá no fundo da alma, que ninguém vê, pois não se trata de ânimo para fazer ou deixar de fazer aquilo que se tem por fazer. Visivelmente nada muda, mas invisivelmente, traz uma enorme sensação de paz, paz essa que é possível transmitir aos conhecidos e a todos aqueles com os quais encontramos no dia a dia.
     _Sim, mas cada um cumpre com as suas obrigações do mesmo jeito.
     Essa afirmativa é parcialmente correta, pois pessoas boas cumprem com as suas obrigações, mas não do mesmo jeito. Cada um cumpre as suas obrigações com a liberdade de começar e terminar dentro de um período, Mas à sua maneira. A alma não é obrigada a ficar comparando o seu crescimento com o do outro, mesmo que esse crescimento espiritual seja igual, o que faz que cada um consiga superar diversas barreiras de tempo que essa própria consideração traz.
      _Por que ficar feliz porque o outro está realizando as tarefas dele?
     Olha que pergunta de duplo sentido e que resposta impalpável essa que me veio à cabeça: o outro cumpre com as obrigações dele porque sempre as cumpriu, então o que poderia ser fardo se transforma em leveza, é algodão e não o magoa. As minhas tarefas cumpro-as igualmente porque é costume. A diferença é que ninguém vê o que está ao lado da alma, que são a compreensão e o respeito.
    Uma conversa abstrata não prossegue, porque a maioria das pessoas gostam do que é visível e palpável e na prática nada mudou.
     Aí surge uma terceira alegria que é a de perceber a alma e sabê-la pulsante e invisível.
     Outra alegria é saber que todos ficam bem com essa mudança que não aparece na prática.
     _Mas, e as tarefas, quais as diferenças?
     Até mesmo as diferenças nas tarefas são invisíveis, posto que é crescimento e evolução.
     Pelo menos saibam que é possível tal situação harmônica, é com esse objetivo que o escrevo.
     São acontecimentos que envolvem algo a mais da nossa natureza humana, pois é humano ter alma e é invisível quando a natureza, embora consciente, não traz o que está à alma ao plano prático e palpável em algum acontecimento.
     Sem mais delongas filosóficas, saibam que é possível.
    

segunda-feira, 12 de junho de 2017

Intervalo


Intervalo

Essa frase quadrada,
Nada remodelada,
É gostar de estudar.


Passo a passo inspirada
Na rotina levada,
A quem queira apreciar.


A hora certa dobrada,

Que alegria sabe dar.

domingo, 11 de junho de 2017

Amadorismo


Amadorismo

Papel de fotografia,
Essa forte alegoria
Daquilo que se viveu,

E onde se imprime a alegria
De editar a fantasia,

Mas quem sabe a correria

D'uma foto, e o que valeu?

sábado, 10 de junho de 2017

Meridiano


Meridiano

Durmo pensando piano
E o intelecto quer mais
Momentos especiais
Em todo o quotidiano;

Diria até suburbano,
Com paixões cadernais
De esforço sobre-humano
Com ideias celestiais,

Em meio ao trânsito urbano,
Cujos pontos cardeais
Vem do som meridiano;
Canções adicionais.

sexta-feira, 9 de junho de 2017

Macio


Macio

Voa o tempo,
É frio,
Comento.

Vou lendo
E o amplio
E o invento;

Momento

Macio.

quinta-feira, 8 de junho de 2017

Uivo


Uivo

Nem o relógio concorda
Com esse tom entristecido,
E diz que a nuvem engorda
A chuva, o susto e o alarido.

A janela treme e acorda
Ao vento maior que o chovido
Enquanto o relógio borda;
É madrugada ao sentido

Do sono não convencido
De dormir. O som transborda
Naquilo que vem ao ouvido
Sem cor; um uivo recorda.

quarta-feira, 7 de junho de 2017

O Conflito Tecnológico / Crônica do Cotidiano


O Conflito Tecnológico / Reflexão

     Estou aqui me atualizando em tecnologia, com alguns problemas caseiros para resolver e surgiu essa ideia.
     Estamos, enquanto humanidade, em meio ao início do conflito tecnológico. Tudo é prático, confortável e, agora, também pode ser falso.
     As informações cotidianas estão por demais informatizadas e é preciso que contatemos uns com os outros, ideia essa que nos desconforta, pois é mais fácil não abrir o computador do que resolvermos as situações que se nos apresentam.
     A tecnologia está conseguindo proezas inimagináveis. Tenho um telefone que é de uma operadora e está funcionando como se fosse de outra operadora e pedi a portabilidade porque não tenho contrato com a operadora que está operando o meu telefone.
     No começo, eu não conseguia atender a um telefonema e, depois de muitos pedidos, consegui que o telefone funcionasse. Liguei dele para um número conhecido e, pronto, apareceu a operadora que está, sim ainda está operando o meu telefone.
     Antigamente a isso chamaria-se linha cruzada, hoje creio que posso chamar de sinais tecnológicos cruzados.
     Com a portabilidade espero solucionar o problema que não é só meu, mas também da antiga operadora desse telefone que está com o sinal de outra operadora de telefone.
     É uma situação conflitante.
     Tenho mais situações tecnológicas conflitantes, mas por enquanto fico somente com essa situação.
     A tecnologia foi criada para simplificar a vida das pessoas, mas agora, como se fosse antagônica ao princípio para o qual foi criada, volta-se contra a própria empresa e, por conseguinte, o seu consumidor.
     Nesse caso, a informação do consumidor é verdadeira e da empresa também é verdadeira, mas não se sabe de onde apareceu o defeito de sinal.
     Por mais absurdo que pareça, quem pediu para que fosse feita a portabilidade foi a própria empresa de telefonia.
     O problema é sério e somente com o pedido de portabilidade ela poderia fazer os testes para verificar de onde vem a interferência no sinal. As informações do sistema estavam erradas e o limite de ligações não havia sido excedido.
     _Por favor, a senhora peça a portabilidade, nem que seja por pouco tempo, porque nós precisamos verificar o sistema e o seu pedido de portabilidade muito poderá nos ajudar.
     Enfim, eu pedi a portabilidade e ficarei aguardando que seja efetivada.
     A empresa para qual o telefone foi mudado já ligou e perguntou sobre a operadora antiga, porque há uma contradição entre o pedido com o nome de uma operadora e o sinal da outra operadora.
     Há mais ou menos dois dias eu passei a conseguir fazer ligações e receber ligações. Não pretendo pagar nada a operadora à qual o telefone não pertence.
     Esse é o tipo de problema que causa fadiga e não se pode culpar ninguém.
     O futuro assusta, visto dessa maneira.    

terça-feira, 6 de junho de 2017

Paisagem


Paisagem

Espelhava algum vestido
O casaco leve e solto,
E surgia um novo sentido
A essa rua de frio envolto

Ao destino prevenido.
Esse olhar para tão pouco,
Num olhar descontraído,
De sonhar tão desenvolto,

Viu no sol um céu cingido
De amarelo em tom amouxo,
D'um azul quase exibido,
Refletindo o seu refolgo. 

segunda-feira, 5 de junho de 2017

Areia


Areia

Forma plástica é areia,
Movediça, moldada;
Ao vento segredada,
 E ao fogo não incendeia,

Antes se faz mareia
Em ondulação azada
À água indisciplinada
Em formato sereia

Quando não é maré cheia,
Ou, quem sabe, embarcada,
Displicente e calada,
Mas, jamais, naufragada.

domingo, 4 de junho de 2017

Lojas Virtuais / Comentário


Lojas Virtuais / Comentário

     O comentário é sobre o comentário dos consumidores nas lojas virtuais.
     Moro numa cidade fria e, tenho aquecedor. mas me distraio olhando as vitrines das lojas virtuais pela internet e leio o comentário dos consumidores sobre um ou outro produto ou serviço.
     Li alguns comentários que reclamavam do chiado e da luz do aquecedor porque os impedia de dormir. Esses consumidores colocaram o aquecedor no quarto, ligaram e foram dormir. Dormir? Sim, dormir.
     Parabenizo os fabricantes de aquecedores que colocam luz indicativa de acendimento e deixam o chiado para atrapalhar o sono. Graças a eles, eu não perco o meu sono preocupada com aquecedores nas redondezas.
     Inclusive, sugiro que o produto venha com um aviso indicando se ele pode ou não pode ficar ligado durante a noite enquanto a família dorme.
     Eu acredito que seja falta de informação o que leva alguns consumidores a arriscarem-se com um produto típico das regiões onde o inverno é rigoroso.
     Talvez por ser mais velha, ou, melhor informada, mas o fato é que fiquei estupefata com esses comentários.
     Aprendi desde cedo a , se caso fosse cozinhar, a ficar na cozinha durante o cozimento dos alimentos. As moças jovens têm laptops e podem muito bem instalar-se nas cozinhas com eles enquanto cozinham. Se for possível, pois esta é uma arte que, pessoalmente, nunca tentei fazer.
     Mudando de lugar e voltando ao aposento de repouso, é de uma ingenuidade absurda permitir um aquecedor ligado enquanto se dorme.
     O consumidor precisa de esclarecimentos e as propagandas podem ajudar a esclarecer quando e onde usar o produto.
     É mais absurdo que tenhamos tantas informações desnecessárias ao alcance das mãos através da internet e não tenhamos informações úteis.
     Talvez as pessoas não saibam por falta de necessidade, tenham vindo de lugares quentes onde o ventilador fica ligado a noite inteira.
     Também não os culpo, pois até hoje não sei para que serve o umidificador de ar. Na minha cidade chove bastante e o umidificador de ambiente é desnecessário.
     No mais, os cometários sobre os produtos e serviços ajudam muito na hora da escolha feita antes de ir à loja.
     Particularmente penso que seria bom se os consumidores fizessem uma avaliação, mesmo que sucinta, sobre o produto adquirido.
     Se juntarmos num pacote as recomendações do fabricante, a informação do lojista e a avaliação do consumidor, podemos ter uma noção daquilo que o produto realmente oferece e se vale adquiri-lo.
     Uma ideia que achei genial é a demonstração do produto via Youtube. Recebi uma propaganda de móveis modernos para espaços pequenos repletos de criatividade e originalidade. Fiquei encantada porque é um vídeo que sugere e acrescenta espaço aos ambientes só pelo fato de ver a publicidade desses produtos.
     A casa é um espaço fixo, mas a ambientação aceita a criatividade para otimizar o espaço disponível.
     Com tantas ideias de casa para compartilhar, resta pedir um favor, desligue o aquecedor antes de deitar; compre mais um cobertor ou, a última invenção, um roupão de plush (também visto numa propaganda).
     Ideias para diminuir o frio não faltam, vamos cooperar com todos os outros, inclusive comprando um casaco e doando um antigo em algum lugar.
     Nem tudo custa caro e as meias de plush para dormir, por exemplo, conseguimos comprar com poucos reais. Vejam as propagandas e leiam os comentários. Existem lojas mais caras e lojas mais baratas que nem site na internet têm, é uma questão de disposição de sair e pesquisar para comprar o que melhor lhe convém.
     Bom domingo para todos.  

sábado, 3 de junho de 2017

Ânimo


Ânimo

Laceio o passo,
A calçada
E o cansaço

Medido em laço
E a passada
Num abraço,

Pois me faço

Compassada.

sexta-feira, 2 de junho de 2017

Miudezas

Miudezas


Chuva conhecida
Aparece amiga
Num frio de encolher.

Quase sensitiva,
O que não te intriga;
Faz por ti tecer

Em lã, que se diga;

É dia de chover.


quinta-feira, 1 de junho de 2017

Questão de Semântica


Questão de Semântica

     Telma saiu do escritório e observou o carrinho de cachorros-quente com um letreiro um tanto quanto desproporcional dizendo :Cachorro-Quente Telma eu não sou gay.
     Olhou, saiu e não comprou cachorro-quente.
     Começaram os comentários no escritório e Telma, incomodada, foi comprar um cachorro-quente.
     O vendedor perguntou o nome dela e ela disse que se chamava Telma.
     _Telma, me ajude. Estou sofrendo com comentários e isso está prejudicando a minha família.
     Ela disse que não era advogada.
     _Você não precisa ser advogada, basta se chamar Telma.
     A moça perguntou o que poderia fazer para acabar com o comentário dizendo que o vendedor de cachorro quente era gay. Pensava que nada poderia fazer por ele.
     _Eu preciso de ajuda. Estou a ponto de acabar com o cachorro-quente e vender hamburguer. Eu quero que você diga que compra o lanche num carrinho de cachorro-quente de um homem.
     Telma disse que se dissesse muito à favor do cachorro-quente dele, o problema dos comentários seria dela.
     _Eu não vou vender croissant por causa dos comentários.
     Telma disse que não exaltaria o cachorro-quente dele de nenhuma maneira, pois ele era praticamente um desconhecido para ela.
     Além disso, perguntou por que o carrinho de cachorro quente tinha o nome de uma música do Ney Matogrosso.
     _São mensagens subjetivas de meu interesse. Eu não quero me defender porque a minha defesa criará uma polêmica cujo prejuízo será maior ao meu cachorro-quente do que se eu conseguir alguém que se chame Telma para dizer bem a meu respeito.
     Telma disse que não iria ajudá-lo.
     _Arranje um jeito para se defender.
     Ele disse que iria vender hamburgueres.
     Telma, entretanto, contou do problema no escritório.
     Os colegas encontraram uma solução.
     _Mande o homem frequentar algumas panificadoras e açougues e diga a ele para conversar sobre si mesmo com os outros sem contar pormenores de si mesmo.
     Telma assim fez.
     O carrinho de cachorro-quente desapareceu da frente do escritório.
     Passado algum tempo, Telma encontrou o vendedor de cachorro-quente.
     O problema parecia estar resolvido, mas o letreiro do cachorro-quente estava em inglês:
     _Guy's hot dogs. Em português também , com alguma modificação estava escrito: Cachorro-Quente do Guy.
     O antigo nome do carrinho de cachorro-quente estava modificado e todos ficaram sabendo que ele não queria problemas com artistas e estava usando o nome de uma canção famosa. 



Ps. Qualquer semelhança com fatos e pessoas ou nomes é mera coincidência. O nome da música proporcionou o contexto ideal para a ambientação do conto.