Rio de Janeiro

Rio de Janeiro

http://frasesemcompromisso.blogs.sapo.pt/

O blog da Nina, menina que lia quadrinhos.

sexta-feira, 19 de janeiro de 2018

Meditação

Meditação


Autorreflexão
É, a si, um conhecer,
E, ao outro, a compreensão
De um não se saber.

Toda anotação
Pode não caber
Numa abreviação
Imaginada ao ser.

A circunspecção
Também é se ater
À meditação
De si e agradecer.


quinta-feira, 18 de janeiro de 2018

Um Policial Feliz


Um Policial Feliz

     O crime acontecera há mais de vinte anos.
     Houveram três assaltos.
     O policial, que morava próximo jamais viu nada acontecer.
     
     Todo policial tem mapa ou resumo do crime.
     Vamos ao mapa:


                              Casa de vizinho - rua -Casa de vizinho
                                                           rua
                                                           rua
                                                           rua
                              Campo                 rua
                                                           rua
                                                           rua
                               Casa da vítima    rua  Casebres
                               Casa de vizinho  rua  Casebres terreno   rua
                               Rua rua rua rua  XXXrua fechada...........rua

     Conforme a polícia costuma fazer, arquiva o caso, mas nunca joga fora o arquivo.
     Passam-se mais de vinte anos e a mesma vítima dos crimes anteriores, a essa altura, tem novo endereço.
     Aquela sensação de assalto volta e a averiguação pessoal começa. A vizinhança inteira dizia que algumas pessoas eram assaltadas e que até uma casa havia sido invadida pelos bandidos. 
     A cidade evolui, o bairro é outro e as configurações são as mesmas, mas com pequenas alterações próprias da evolução.


                                                  Bandido
                              Rua rua rua rua rua rua rua rua rua rua
                              Casa de vizinho   rua  Casa de vizinho
                              Casa de vizinho  rua  Casa de vizinho
                              Casa de vizinho   rua  Casa de vizinho
                              Casa de vizinho  rua  Casa de vizinho
                                                           rua
                                                           rua
                               Casa da vítima    rua  Casa de vizinho
                               Casa de vizinho  rua  Casa de vizinho 
                               Rua rua rua rua  XXXrua rua rua rua
                                                                   Bandido

     A vítima supôs o primeiro assalto através das configurações atuais.
     Eram dois bandidos: um acima da casa do policial e outro próximo à casa.
     O bandido da rua de cima dava cobertura ao bandido próximo à casa, que era quem de fato executava o assalto.
     A fuga do rpimeiro assalto se dava pelo terreno ao lado dos casebres, fato proposital para colocá-los como suspeitos, mas quem recebia os objetos roubados era o vizinho de cima, que tudo observava e esperava os bandidos na rua subsequente ao terreno dos casebres.
     A vítima dos outros assaltos percebeu que algo poderia estar errado e contatou a polícia.
     Dessa maneira todas as afirmações iniciais estavam corretas e o vizinho policial não conseguia ver nada de onde estava.
     O novo assalto pode se evitado e essa é a história de um policial feliz.


quarta-feira, 17 de janeiro de 2018

Passarinho Indomável

Passarinho Indomável


Está sempre a seu lado,
Mas é animal silvestre
E não fica engaiolado.
Voa num jardim terrestre


E é pelo céu agraciado
A um doce som campestre
Nas folhas de um chão ao lado,
Que ao vento chama mestre


À proporção do chiado.
Diverte-se ao sedestre
E faz rir o enunciado;
Não há mesmo quem o amestre.

terça-feira, 16 de janeiro de 2018

Aos Simples

Aos Simples

Nada importa nessas simplicidades
Ditas e supostas das amizades
Quando são observadas pelos sucessos;
Nelas se comprazem belos progressos.

Cobram-se cuidados às veleidades,
Às tantas luzes do sol em verdades
Tênues, quando está bem feito o professo;
Seja conservado o que já está impresso

Nessa coincidência, única e explicada
Pelas alegrias vindouras, conscientes
Júbilos ao tempo e à razão aprazada.

Logo perdoar-se-á a malícia ausentada
Nessas condições e intenções presentes;
Zela-se a conquista ainda não premiada.


segunda-feira, 15 de janeiro de 2018

A Graça de Deus

A Graça de Deus

De novo, essa missão,
Orar. Não é vocação,
Talento, ou poetizar
Que a Deus cabe perdoar,

Não, não é essa a orientação.
Deus convida à uma ação,
Que, por agora é orar,
E a Bíblia declamar.

É a nova obrigação.
À Ele toda atenção
Para ser e acertar.
Deus ama por amar. 
  

domingo, 14 de janeiro de 2018

Pecado Capital

Pecado Capital


Nada escreva magoada,
Com palavra mal dada
Por cabelo defrisado,
Exigência do diabo.

Nada escreva amargada,
De sorriso enganada;
Não se aceita o mal fiado,
Não se gosta de quiabo

Nem cobra enrodilhada.
A palavra lançada
É nó a ser desatado;
A ira gosta do brabo.

sábado, 13 de janeiro de 2018

Paradoxal

Paradoxal


Não vejo mar
Se dissolver
Sem se salgar
Ao devolver

O navegar.
Esse querer
É se espantar
Sem sequer ver,

É se apreciar
Sem entender
Todo o pensar
Acontecer.